A FURGONETA

Romão e o irmão decidem reformar o negócio do pai, homem com milhares de quilómetros feitos pelas aldeias do Minho. Mas agora o negócio é outro: a furgoneta que vendia tudo e mais alguma coisa passa a startup, e a compra de uma simples faca, que dava para estonar batatas e cortar o pescoço ao frango, já não é feita da mesma maneira! Confrontados por um modo de vida que está a chegar ao fim entre os últimos fregueses e os velhos vendedores ambulantes, os dois irmãos vêm-se divididos entre o progresso tecnológico e os que ainda resistem nas aldeias à espera da buzina estridente e dois dedos de conversa.
À boleia da furgoneta, somos também confrontados com a desertificação e o abandono do mundo rural. No retrovisor, já se avistam escavadoras!

O texto “A FURGONETA” do Teatro de Balugas é o projeto vencedor da 1ª edição da Bolsa TEIA de Criação Teatro Amador 2020, lançada com o objetivo de incentivar a produção de teatro amador no âmbito das associações que integram a rede cultural TEIA – Teatro Em Iniciativa Associativa, do Projeto Comunidade do Teatro do Noroeste – Centro Dramático de Viana do Castelo.

Os comentários estão fechados.